30 de setembro de 2010

Encontrei a felicidade...

Acho esse texto uma relíquia e diz exatamente TUDO o que penso sobre felicidade.
Não se limita porém, a um "como fazer"...já que isso é você quem vai descobrir, mas, é um grande estímulo e uma ótima reflexão para achar o caminho.
Do it yourself...e encontre a sua felicidade você também...
: )



Encontrei a felicidade

Corremos de um lado para o outro esperando descobrir a chave da felicidade. Esperamos que tudo que nos preocupa se resolva num passe de mágica.
Achamos que a vida seria tão diferente, se pelo menos fôssemos felizes.
E, assim, uns fogem de casa para serem felizes e outros fogem para casa para serem felizes.
Uns se casam para serem felizes e outros se divorciam para serem felizes. Uns fazem viagens caríssimas para serem felizes e outros trabalham além do normal para serem felizes. Uma busca infinda. Anos desperdiçados.
Nunca a lua está ao alcance da mão, nunca o fruto está maduro, nunca o vinho está no ponto. Sombras, lágrimas. Nunca estamos satisfeitos. Mas, há uma forma melhor de viver! A partir do momento em que decidimos ser felizes, nossa busca da felicidade chegou ao fim. É que percebemos que a felicidade não está na riqueza material, na casa nova, no carro novo, naquela carreira, naquela pessoa. E jamais está à venda.
Quando não conseguimos achar satisfação dentro de nós mesmos, é inútil procurar em outra parte. Sempre que dependemos de coisas fora de nós para ter alegria, estamos fadados à decepção. A felicidade não tem nada a ver com conseguir. Consiste em satisfazer-nos com o que temos e com o que não temos.
Poucas coisas são necessárias para fazer feliz o homem sábio, ao mesmo tempo em que nenhuma fortuna satisfaria a um inconformado.
As necessidades de cada um de nós são poucas. Enquanto nós tivermos alguma coisa a fazer, alguém a amar, alguma coisa a esperar, seremos felizes. Saiba: A única fonte de felicidade está dentro de você, e deve ser repartida.
Repartir suas alegrias é como espalhar perfumes sobre os outros: sempre algumas gotas acabam caindo sobre você mesmo.
"Na incerteza do amanhã aproveite o hoje para ser feliz."

(Anônimo)


(postado por Julie)

Coragem...


Entender que cada um tem um momento especial de SER! Respeitar as diferenças e os "tempos" das pessoas que amamos... Tenho tentado tirar o lado bom, belo e verdadeiro das coisas... tenho aprendido a SER!!! Esse mundo corrido nos priva de pensar sobre as coisas da vida! E sofremos por pensar ou por nao pensar... Agente não sabe mais curtir, agente se perde no desfrutar... Policiar-se é o segredo, a todo o momento, mesmo que as "tentaçoes" mundanas nos subjulguem... Não gosto muito de receitas, costumo inventar as minhas... mas vai uma sugestão que tem me ajudado a me manter serena, com sabedoria e coragem.
Vejam o video.
Bjs a todos os meus amigos!
Com carinho Etel

Oração Nossa (Chico Xavier)
http://www.youtube.com/watch?v=wntXvDRBa3M

27 de setembro de 2010

“Temos o direito a ser iguais quando a diferença nos inferioriza, temos o direito a ser diferentes quando a igualdade nos descaracteriza.” Boaventura de Sousa




(postado por Etel)

24 de setembro de 2010

"Primavera"

("Primavera", Sandro Botticelli - c.1478)

A chegada da estação me fez lembrar uma obra fantástica de um dos meus artistas preferidos: Sandro Botticelli. Italiano e pré-renascentista, conseguiu revelar a graciosidade e a perfeita harmonia nas suas figuras. O que de fato, me encanta - além da perfeição e estética da obra - é o conteúdo que ela carrega, unindo de forma admirável, dois assuntos pelos quais tenho grande interesse: arte e mitologia.

Apesar de várias interpretações possíveis (desde a representação do mundo pagão até a representação simbólica das estações), ela nos apresenta a alegoria da chegada da Primavera. A obra dá margem a muitos outros olhares, estudos e interpretações e cada vez que a vejo, a minha listinha de analogias e possibilidades aumenta consideravelmente, mas, bom mesmo é olhar novamente a obra depois de conhecer cada figura em sua respectiva simbologia. Então vamos lá...

* Vênus (ao centro do bosque de laranjeiras) deusa do amor e da beleza. Na tradição clássica, ela e seu filho (o cupido), surgem para avivar os campos, fustigados pelo inverno, iniciando a primavera ao semear flores, beleza e atração entre todos os seres.

*Zéfiro (à direita de Vênus) - deus dos ventos.

* Clóris (também á direita, sendo abraçada por Zéfiro).A ninfa, é representada em sua metamorfose, quando se transformava em Flora, deusa das flores (a figura de vestido florido que cumpre sua missão de adornar o mundo com flores)
O poeta Ovídio, descreve essa cena como o princípio da primavera: Zéfiro, lamenta-se ela, foi arrebatado por uma paixão selvagem ao vê-la. Assim, perseguiu-a e tomou-a á força para sua mulher. Porém, se dando conta de seus atos brutais, arrependeu-se e para recompensá-la, transforma-a na deusa das flores, rainha da primavera.

*Cupido (sobre a cabeça de Vênus, sua mãe) - É representado atirando suas flechas de amor com os olhos vendados. É tido que qualquer ser atingido por suas flechas, se apaixonará perdidamente pela primeira figura que ver, não importando o que ou quem seja, já que o amor é cego (olhos vendados). A chama de sua flecha, é um símbolo da paixão que vive no sentimento que ela provocará.

* Três Graças (à esquerda da tela) - Tália (a que traz flores), Aglaia (brilho e esplendor) e Eufrosine (júbilo e alegria). As ninfas em geral eram filhas de pais ou mães divinos.Retratadas como belas mulheres, estavam associadas ao campo ou à outras forças da natureza.

* Mercúrio (mais à esquerda) - mensageiro dos deuses, é retratado dissipando as nuvens, fechando esse ciclo mitológico. Para a filosofia neoplatônica, esse ciclo é a ligação ininterrupta entre o mundo e Deus, e vice-versa.

(postado por Julie)

22 de setembro de 2010

"A beleza existe em todo lugar. Depende do nosso olhar, da nossa sensibilidade; depende da nossa consciência, do nosso trabalho e do nosso cuidado. A beleza existe porque o ser humano é capaz de sonhar."
Moacir Gadotti. BONITEZA DE UM SONHO: Ensinar-e-aprender com sentido

(postado por Etel)

21 de setembro de 2010

Essa é a minha árvore...

A Nogueira
(A Paixão)


Implacável, é uma pessoa estranha e cheia de contrastes, não é egoísta, agressiva quando precisa, amorosa, nobre, de horizontes amplos, de reações inesperadas, espontânea, de ambição sem limites, pouco flexível, é uma companhia pouco comum, nem sempre agrada mas é admirável, com um gênio estratégico, muito zelosa e apaixonada, não se compromete se não conhece.”

21 de setembro é uma data especial. Comemora-se o Dia da árvore e o Dia Internacional da Paz. Duas palavras que remetem a muita reflexão, e que combinam perfeitamente juntas. A árvore é um forte símbolo de paz. Ela traz a lembrança do tempo sem tempo, a ancestralidade das tribos e a longevidade da sabedoria. Silenciosa e generosa, ela acolhe, abriga, refresca e convida para momentos de tranquilidade e harmonia.

Nessas datas comemorativas, muitos se perguntam: o que eu posso fazer? Pode ser apenas parar e reparar. Não passe em branco pelas árvores à sua volta. Sinta, ouça, cheire, honre.

Conheça aqui sua árvore:
http://www.itu.com.br/conteudo/detalhe.asp?cod_conteudo=10950&adm=1


(postado por Etel)

Solidão

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida. .. Isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma....

**Francisco Buarque de Holanda**

(postado por Etel)

20 de setembro de 2010

13 de setembro de 2010

12 de setembro de 2010

Sabedoria

"...uma forma de lembrar que, se os homens não olhassem, não ouvissem e não falassem o mal alheio, teríamos comunidades pacíficas com paz e harmonia."
.
.
.
.
....em outras palavras: cuide verdadeiramente da sua vida, não pertube a do outro, aceite as diferenças e faça disso uma oportunidade para viver mais e não ser apenas mais um espectador da vida alheia...
(postado por Julie)

8 de setembro de 2010

Desabafo


Faço minhas, as palavras de Mário de Andrade...

"O Valioso tempo dos Maduros"

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, roeu o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturas.
Detesto fazer acareações de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa…
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!

(postado por Julie)

6 de setembro de 2010

Diário de um viajante


"Ao chegar a uma nova cidade, o viajante reencontra um passado que não lembra existir: a surpresa daquilo que você deixou de ser ou deixou de possuir revela-se nos lugares estranhos, não nos conhecidos."


(do livro: As cidades invisíveis -Ítalo Calvino)
(foto[linda!!] de jose francisco da silva matos)

(postado por Julie)

5 de setembro de 2010

"Percepção"

Percepção é o que te permite entender que uma única situação pode ter sentidos infinitos,que vão além dos conceitos de "certo" e "errado".Depende da intenção de quem a observa, vivencia. É ainda, o início para um outro entendimento: o deixar de “estar” feliz, para então “ser” feliz, é uma questão de escolha, de se posicionar diante da vida, sem deixar que ao contrário,ela se posicione diante de você.
É moldar - a seu modo - a sua felicidade.
.
.
.
* Uma amiga indicou um vídeo inspirante e compartilho com vocês.
http://www.youtube.com/watch?v=0FxMCZ4OzL4

: )
(Postado por Julie)

1 de setembro de 2010

Pra começar um "bom dia!"


...receber,apreciar,sintonizar e descartar tudo aquilo que não fará diferença quando ele acabar...

(postado por Julie)